Precisamos construir uma nova relação entre nós… E com o nosso planeta também…

Nivaldo Ferreira dos Santos*

Há mais de um ano (desde os primeiros meses de 2020), a maioria das pessoas, mundo afora, teve sua rotina alterada pela chegada da pandemia do “novo coronavírus”, que provocou medo, pânico e temores de toda ordem, principalmente com relação à saúde, mas também no que diz respeito às nossas relações sociais, à instabilidade econômica e ao funcionamento da maioria das nossas organizações, incluindo as escolas, empresas e muitos dos nossos serviços públicos.

Em meio a muitas informações e textos que tenho recebido ultimamente, destaco hoje uma matéria publicada pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA – ou UNEP, na sigla em inglês) – quem quiser conferir o texto pode encontrá-lo na internet, no sítio eletrônico https://www.unep.org/pt-br/noticias-e-reportagens .

Então, vamos ao conteúdo que nos interessa:

* Logo no início da matéria, há um vídeo com a “mensagem de Ano Novo” de António Guterres, Secretário Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), e em destaque, no texto, a frase: “Devemos unir forças para superar a crise das mudanças climáticas e a pandemia da COVID-19, como parte de uma transição para um futuro sustentável e inclusivo.”;

* O vídeo com a “Mensagem do secretário-geral da ONU para 2021” também está disponível no Youtube®, no link https://www.youtube.com/watch?v=Xc8A6EgQzB8, junto ao seguinte texto, que resume o conteúdo da mensagem: “2020 foi um ano de provações, tragédias e lágrimas. A Covid-19 virou as nossas vidas do avesso e mergulhou o mundo em sofrimento e tristeza. Mas o Ano Novo está aí. E com ele, vemos raios de esperança: – Pessoas a estenderem a mão a vizinhos e estranhos; – Trabalhadores que estão na linha da frente a darem tudo o que têm; – Cientistas a desenvolverem vacinas em tempo recorde; – Países a assumirem novos compromissos para prevenir a catástrofe climática. Se trabalharmos [email protected], em união e solidariedade, esses raios de esperança podem chegar a todo o mundo. A ambição central das Nações Unidas para 2021 é a de construir uma coalizão global em prol da neutralidade de carbono até 2050. Façamos [email protected] as pazes entre nós e com a natureza para enfrentar a crise climática, impedir a disseminação da Covid-19 e fazer de 2021 um ano de cura. Essa é a resolução das Nações Unidas para 2021. Fique conosco – a ONU serve a [email protected] vocês.”;

* E o texto continua: “Os pacotes de recuperação pós-COVID-19, se implementados corretamente, podem ajudar a virar a maré e colocar o planeta em um caminho mais sustentável. Cada governo, cidade, empresa e indivíduo podem desempenhar um papel na concretização desta visão. O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente está pronto para realizar seu trabalho de liderança e incentivo ao trabalho conjunto no cuidado com o meio ambiente, inspirando, informando e capacitando nações e povos para melhorar sua qualidade de vida sem comprometer as gerações futuras.”;

* E a parte final: “Nossa produção e consumo insustentáveis estão devastando a #natureza, acelerando as mudanças climáticas e poluindo nosso mundo. Enfrentar as três crises planetárias está no centro da estratégia do #PNUMA para os próximos 5 anos. #Pela Natureza – Além de publicar uma série de relatórios e publicações abordando questões relacionadas ao clima, biodiversidade e poluição, e implementar projetos relacionados, o PNUMA hospeda as secretarias dos principais acordos ambientais multilaterais e órgãos de pesquisa que continuarão seus esforços para se unir nações e a comunidade ambiental no enfrentamento dos maiores desafios de nosso tempo.”.

 

Após o texto, há também a “Agenda Ambiental 2021, um ano para construir uma nova relação com o planeta”, com destaque para os seguintes projetos e datas:

* Começam em 2021 “duas décadas importantes”: a “Década de Restauração de Ecossistemas da ONU” e a “Década da Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável da ONU”;

* 2021 é o “Ano Internacional das Frutas e Vegetais”, iniciativa que visa conscientizar sobre o importante papel desses alimentos na nutrição humana, segurança alimentar e saúde, bem como na redução das emissões de gases de efeito estufa e o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU;

* 3 de março é o “Dia Mundial da Vida Selvagem”;

* 22 de maio, “Dia Internacional da Diversidade Biológica”;

* 5 de junho, “Dia Mundial do Meio Ambiente”;

* 8 de junho é o “Dia Mundial dos Oceanos”;

* 7 de setembro, “Dia Internacional do Ar Limpo para um céu azul”;

* 29 de setembro é o “Dia Internacional de Conscientização sobre Perda e Desperdício de Alimentos”;

* 6 de novembro, “Dia Internacional para a Prevenção da Exploração do Meio Ambiente em Guerras e Conflitos Armados”.

 

ABRIL

Aproveito para lembrar algumas datas da “Agenda Ambiental” do mês de abril, que são destaque no Brasil:

* 15 de abril é o “Dia da Conservação do Solo”;

* 17 de abril, “Dia Nacional da Botânica”;

* 22 de abril é o “Dia da Terra”;

* 28 de abril, “Dia da Caatinga”.

E para completar, lembramos ainda que dia 19 de abril é o “Dia do Índio”, que precisa ser mais respeitado, juntamente com seus territórios e com a natureza que precisa ser cuidada e preservada para o bem de todos nós… Até a próxima!

* Nivaldo Ferreira dos Santos é Mestre em Administração Pública, Professor, Líder Comunitário e Servidor Público